Select Page

Mês: fevereiro 2008

Quero virar vegetariano, mas adoro uma picanha na brasa… Como vou sobreviver assim

A questão da falta que a carne faz em certos pratos pode ser entendida por dois dos principais aspectos da mesma: a textura e o sabor conferido pela gordura. É sabido que as carnes de sabor mais acentuados são também aquelas mais gordurosas. O problema da textura é, no geral, o mais fácil de resolver. Os diversos tipos de “carne de soja”, seja em lata, em pedaços miúdos como carne moída ou em pedaços graúdos, assim como alimentos como o glúten e o tofu, já englobam uma grande parte…   Olá pessoal. A coluna desse sábado (finalmente!) vai ser um pouco diferente das anteriores. Enquanto nas primeiras procurei falar mais sobre o vegetarianismo em si, os motivos éticos, sociais e filosóficos para não se comer carne, daqui pra frente darei mais atenção para as questões culinárias em si. Prometi para a leitora Cláudia um dossiê sobre a situação dos pescados no mundo atual, e estou fazendo essa pesquisa detalhadamente, para poder apresentar o problema de forma legítima. Peço desculpas a ela e agradeço imensamente pela paciência, mas pode deixar que essa coluna vai chegar. Por hoje, vamos às panelas! Não, não estou aqui pra falar de novo sobre o combalido assunto das proteínas. Não, chega disso, já repetimos mil vezes que a proteína está em diversos vegetais e etc. Estou aqui pra falar de comida, de paladar, de sabor....

Read More

O que é Transtorno Bipolar do Humor I

Ultimamente fala-se muito a respeito deste Transtorno que afeta de 5 a 7% da população e que de forma equivocada estaria associado à criatividade, mas na realidade causa muitos prejuízos e grandes sofrimentos para os portadores e seus familiares. Existem até pessoas que falam que é uma epidemia contemporânea, porém o que desconhecem é que na realidade existem registros históricos que sugerem o conhecimento de seus sintomas e até que eram estudados na antiguidade. Ultimamente fala-se muito a respeito deste Transtorno que afeta de 5 a 7% da população e que de forma equivocada estaria associado à criatividade, mas na realidade causa muitos prejuízos e grandes sofrimentos para os portadores e seus familiares. Existem até pessoas que falam que é uma epidemia contemporânea, porém o que desconhecem é que na realidade existem registros históricos que sugerem o conhecimento de seus sintomas e até que eram estudados na antiguidade. O professor da Faculdade de Educação da USP Jean Lauand, que é especialista em pensamento medieval, encontrou algumas referências que sugerem um pensamento e comportamento de um portador de bipolaridade, em alguns textos de S. Tomás de Aquino (1227-1274) (aqui). De acordo com o Psiquiatra da Faculdade de Medicina da USP, Ricardo Alberto Moreno: "Existem descrições de estados mistos, como os conhecemos hoje, desde a época dos antigos gregos, mas foi Kraepelin (1976), auxiliado por seu aluno Weygandt (apud Marneros, 2001),...

Read More

Nueva Normativa para Ciudadanos Comunitarios residentes en España

Se ha puesto en vigencia el Real Decreto 240/2007 sobre la entrada, libre circulación y residencia en España de ciudadanos de los Estados Miembros de la Unión Europea y de otros Estados parte en el Acuerdo sobre el Espacio Económico Europeo. La nueva normativa comunitaria dispone, entre otros asuntos, la creación de un Registro Censal para ciudadanos comunitarios que manifiesten una residencia de carácter permanente en España y por tanto se elimina la tarjeta de residencia. Se le expide un Certificado de Registro que no tiene caducidad y que deberá llevar consigo en todo momento acompañado por el pasaporte en vigor, como documento de identidad en el país donde reside. Esto significa que a partir de ahora, a efectos de contratación, alta en la seguridad social, apertura de cuentas bancarias y cualquier trámite administrativo que realice un ciudadano europeo con residencia permanente en España, deberá presentar el pasaporte comunitario. Así la entrada en territorio español del ciudadano de la Unión Europea se efectuará con el pasaporte o documento de identidad válido y en vigor y en el que conste la nacionalidad del titular. El RD 240/2007 indica en sus fundamentos que esta nueva legislación obedece a la “necesidad de codificar y revisar los instrumentos comunitarios existentes, con objeto de simplificar y reforzar el derecho de libre circulación y residencia de todos los ciudadanos de la Unión Europea, lo que...

Read More

Os risotos e seus múltiplos sabores

Risotos sempre me levam de volta a infância e me conduzem para a misturança de ingredientes que avós e mães deliciosamente preparavam com alguns ingredientes que teimavam em sobrar depois das refeições. Ao arroz adicionavam-se o milho, a carne moída, o frango, a vagem, as ervilhas, lingüiças, tomates, queijos e tantos outros alimentos saborosos que, por si só já tinham o destino certo dos nossos estômagos famintos, mas que reunidos ao esplendor branco e fresco de um bem temperado arroz com cebolas e alho tornavam-se totalmente irresistíveis. Parte da história de nossas vidas, os risotos também parecem acompanhar a humanidade há muito tempo. Pode-se dizer que se relacionam a própria domesticação e uso inicial dessa gramínea valiosa proveniente do mundo oriental (onde era e continua sendo uma das bases alimentares). Surgiu de forma não pensada ou proposital. Não podemos nem mesmo chamá-lo pelo codinome que estabelecemos para essas preparações nos dias de hoje. Seríamos considerados sacrílegos ou hereges pelos puristas da gastronomia e excomungados do mundo fascinante da alimentação. Não podemos negar, por outro lado, que a adição de complementos ao arroz é tão antiga quanto os próprios arrozais cultivados pela humanidade. O requinte e a sofisticação que atribuíram a essa saborosa combinação o nome de risotos é que é muito recente entre nós. É igualmente contemporâneo todo o esmero e detalhismo que nos faz capazes de criar e...

Read More

Desesperança

Douglas Ceconello, do blog Impedimento, cometeu uma obra de arte no último dia 26. Criou um texto tão significativo, grave e encharcado de humanidade para a tragédia que ocorreu em Criciúma no último domingo, que passo por cima da exigência de ineditismo do OPS, na certeza de que não serei advertido pelo deslize. Leiam porque vale a pena. Voltamos à nossa programação habitual na próxima segunda-feira. Com vocês, Douglas Ceconello: Sempre que penso na minha velhice – isto, é claro, caso tenha a sorte de avançar pelas décadas apesar dos riscos que corro e de outros em que me coloco de forma proposital – imagino o prazer que certas atividades corriqueiras devem proporcionar e no significado que certamente adquirem no momento que se aproxima do nosso crepúsculo. Penso, se o acaso e o organismo estiverem do meu lado, que sairia pela manhã para cuidar que o sol segue sua mesma trajetória, leria o jornal acomodado em algum lugar preferido e encontraria amigos velhotes para falar de novas coisas cotidianas, desviando olhar para pousar o sorriso nuns quadris avantajados. Após o almoço, a breve sesta precederia uma leitura macia, para não enferrujar os neurônios e dar exemplo aos netos. Como ninguém é de ferro, as tardes seriam encerradas com um trago de confraternização no boteco predileto. Depois, enfim a casa. E assim seria sempre, apenas com a interferência de algumas pequenas alterações...

Read More