Select Page

Mês: fevereiro 2010

Vancouver e o gelo

Não é novidade nenhuma que eu tenho uma predileção por esportes e atividades que exibam o mínimo de coreografia. Sendo assim, não por acaso, acompanhei, mais uma vez (só que dessa vez em rede aberta), as Olimpíadas de Inverno desse ano realizadas em Vancouver, no Canadá. É claro que estou aqui para falar um pouco sobre a patinação artística, mas engana-se que só me prendi em frente à telinha por causa dessas competições. Tenho, dentro de mim, também certa simpatia pelo hockey no gelo (aliás, o Canadá acaba de ser campeão!). Mas não consigo, nem como leiga que sou, comentar sobre ele. Então, vamos à patinação. Acho de fundamental importância que pessoas ligadas à dança – ao ballet, principalmente – acompanhem as competições de patinação artística. É clara a influência do ballet sobre esses atletas que parecem fazer milagres com seus patins. Mas, para ser sincera, não quero tanto falar da técnica do ballet empregada nas coreografias. Vamos a um simples balanço do que foram as apresentações – novamente, sob o meu ponto de vista leigo em patinação no gelo. Confesso que as provas de patinação artística individuais ou em duplas não me atraem muito. São belíssimas, claro. Mas falta um quê a mais, na minha humilde opinião. O que me atrai na modalidade, de fato, é a dança no gelo. Para mim, a grande diferença entre este e...

Read More

A devassa da Devassa: mortalidade masculina e sexismo

Uma propaganda de cerveja pode ser entendida como direito de expressão, direito à liberdade de iniciativa e direito de livre escolha do consumidor? Se sim, por que então não liberar também a propaganda ilimitada de cigarros e da maconha? Qual é a ética e a lógica da legislação que proíbe a segunda e libera a primeira? O fato é que o crescente investimento em publicidade de cerveja e chopp tem como objetivo conquistar as pessoas em geral, e os jovens em particular, para um estilo de vida aparentemente glamoroso, mas que tem como única meta aumentar as vendas e os lucros das empresas capitalistas do setor. O Ministério Público Federal já ajuizou diversas ações civis públicas contra as cervejarias com pedido de indenização pelos danos causados pelo consumo de cerveja e outras bebidas alcoólicas, tais como o aumento de mortes violentas e de homicídios, de problemas de saúde em geral, de dependência química, de acidentes de trânsito, de problemas profissionais, de violência urbana e doméstica, etc. A questão da publicidade de cerveja no Brasil não se encaixa na questão do moralismo, mas sim na questão de saúde pública em decorrência do aumento da mortalidade e de luta contra o sexismo e o machismo veiculado nas propagandas das “louras que matam a sede”. Neste sentido, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) e o CONAR (Conselho de Autorregulamentação...

Read More

O Consenso de Beijing e a mudança de hegemonia

A crise econômica de 2009, não foi tão grave, longa e profunda como a crise de 1929, mas afetou bastante as chamadas “economias avançadas” e mostrou a capacidade de resiliência da economia chinesa. Em seu último relatório, World Economic Outlook, de 26/01/2010, o FMI mostrou que o PIB mundial caiu 0,8% em 2009, sendo que as economias avançadas apresentaram um recuo de 3,2% e os EUA tiveram um encolhimento de 2,5% no ano, a maior queda das últimas cinco décadas. A área do Euro teve um declínio de 3,9%. A América Latina e o Caribe também apresentaram uma queda significativa de 2,3%. Por outro lado, a África apresentou crescimento de 1,9%, a Índia (com seus mais de 1,1 bilhão de habitantes) cresceu a 5,6% e a China (com seus mais de 1,3 bilhão de habitantes) apresentou um impressionante crescimento de 8,7% no ano. Para 2010, as previsões do FMI são: crescimento do PIB mundial de 3,9%; retomada de apenas 2,1% para as economias avançadas (portanto sem recuperar as perdas do ano passado); crescimento de 2,7% para os EUA (ou seja, crescimento próximo de zero no biênio); a área do Euro vai continuar no prejuízo e deve crescer apenas 1,0% em 2010; crescimento de 3,7% para a América Latina e o Caribe (mas com estagnação da renda per capita no biênio); a África deve crescer 4,3% em 2010, também a...

Read More

Seguindo pessoas

___Tive um professor na faculdade com um gosto literário fabuloso. Sempre que o via com um livro na mão, eu anotava o nome da obra e a lia mais tarde. Nunca me arrependi; em um mundo com tantos livros bons para se ler e tão pouco tempo, seguir as leituras desse meu professor foi um privilégio inenarrável. ___Como já comentei por aqui, também é bem difícil encontrar o que há de bom para se ler no infinito oceano virtual. Por isso mesmo, além dos meus escritores prediletos, eu, atualmente, tenho seguido os links compartilhados de pessoas das quais aprecio o gosto. Assim como eu, eles possuem leitores de feeds e selecionam, entre as próprias leituras, o que consideram de melhor. Indicarei alguns para vocês.___Minha primeira indicação é o interessantíssimo Idelber Avelar. Seu blog, um dos melhores da internet, está em hibernação por tempo indeterminado. Acompanhando os links que ele compartilha, os seus antigos leitores, carentes de suas reflexões, têm a chance de ver quais as melhores leituras virtuais que o Idelber tem feito e, ainda, dar uma olhada nos comentários que ele costuma fazer sobre alguns textos. ___Outros dois que tenho gostado muito de seguir são moradores aqui do Ops!: a Camila Pavanelli, do Recordar, Repetir e Elaborar, e o Daniel Lopes, o autor do Index (blog que eu me esbaldei de elogiar no meu editorial anterior). Além de...

Read More

Pré-sal: pretérito perfeito ou futuro do pretérito?

Esta noite eu tive um sonho – acordei mais cedo e com uma dúvida na cabeça – e resolvi escrever este artigo para compartilhar a preocupação com os amigos, expiar “meus pecados” e evitar outras noites em claro. Vou contar meu sonho, mas antes vou expor minha dúvida. A dúvida é esta do título do artigo, pois eu nunca fui bom em português e não sei se o pré-sal é conjugado no pretérito perfeito ou no futuro do pretérito. Dizendo de outra forma: as enormes jazidas de petróleo do pré-sal que estão a milhares de quilômetros das profundezas do oceano vão realmente gerar riquezas para pagar a dívida social do país, para a segurança energética e a segurança nacional? A energia do petróleo é a energia que o Brasil precisa e que vai garantir uma economia forte e limpa no futuro? Quanto vai custar a extração do petróleo do pré-sal? O investimento é viável economicamente e ambientalmente? Foi a melhor escolha para investir os recursos da Petrobrás e do país? Se alguém tiver respostas para todas estas questões eu gostaria muito de conhecer. Pelo que li nos jornais, uma boa parte dos financiamentos para a perfuração dos poços vem do “fundo soberano” da China e o Brasil se compromete com a venda do “ouro negro” para o Gigante Asiático. Eu compreendo perfeitamente que a China precisa garantir o abastecimento...

Read More