Select Page

Mês: abril 2013

Segunda-feira

___Na terça, dia 23, publiquei um texto no meu blog e fiquei até hoje pensando que, pelo menos uma partezinha dele deveria estar aqui. Essa parte, vale dizer, não são as minhas letras, mas a imagem (com letras alheias) que o ilustra. ___A imagem contém letras alheias, pois se trata de uma pixação*. E essa pixação passa uma mensagem que, creio eu, combina muito bem com as ideias que rolam aqui pelo Ops!. ___Justificativa dada, ei-la. ##### P.S.: Já que eu estou linkando uma postagem minha, aproveito e indico também o texto “Marcadores de superioridade”, da Camila Pavanelli. Por que indico? Claro que eu indico porque gostei do texto, mas a verdade é que gosto tanto do jeito que a Camila fala das coisas que não acho que tenho de dar muitas outras explicações. ___Na terça, dia 23, publiquei um texto em meu blog e fiquei até hoje pensando que, pelo menos uma partezinha dele deveria estar aqui. Essa parte, vale dizer, não é exatamente de minha autoria, mas a imagem (com letras alheias) que ilustra a postagem. ___A imagem contém letras alheias, pois se trata de uma pixação*. E essa pixação passa uma mensagem que, creio eu, combina muito bem com as ideias que rolam aqui pelo Ops!. ___Justificativa dada, ei-la.   #####   P.S.: Já que eu estou linkando uma postagem minha, aproveito e indico também o...

Read More

O clássico IV álbum do Led Zeppelin.

          Há sempre dois caminhos que você pode seguir. Mas na longa estrada, há sempre tempo de mudar o caminho que você segue.   Stairway To Heaven.       O que é um clássico? A pergunta é difícil e complexa de responder em algumas linhas, mas vamos tentar. Um clássico é algo que vence o tempo por sua qualidade e é capaz de gerar em um grande número de pessoas boas reações. Um clássico no rock é aquele disco que consegue chegar intacto as novas gerações. É aquele disco que encanta seu pai, seu irmão mais velho e os colegas de seu irmão mais novo. É um disco que incrivelmente não perde o encanto e que provavelmente nunca perderá. O Led Zeppelin ao longo de sua carreira conseguiu criar muitos clássicos, mas esse IV, ou “Four Symbols” é sem sombra de dúvida o mais clássico de todos. Um disco inspirado, e se olhar atentamente – ou os desavisados – poderão achar ser o álbum uma coletânea, dado os grandes sucessos e grandes músicas contidas nele. Musicalmente é perda de tempo falar. Falar o quê? É necessário se render frente à tamanha qualidade. Em todas as bandas sempre há aquele musico destaque. Aquele que rouba a cena. No caso do Zeppelin, embora Jimmy Page seja gênio, não é tão fácil assim. Nem mesmo os Beatles...

Read More