Nossa imprensa é uma vergonha

Ainda que em nossa grande imprensa existam uns poucos jornalistas que se dedicam ao ofício com a necessária isenção, a regra em nosso país tem sido outra. Boa parte dos profissionais age em defesa de interesses políticos ou mesmo outros que não os da verdade factual.

Continue reading “Nossa imprensa é uma vergonha”

Gilmar, por que não te calas?

Desde que assumiu a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes tem colocado o Pretório Excelso nas manchetes dos jornais. Infelizmente, isto tem acontecido pelos motivos errados. Em poucos meses, várias as confusões com as digitais de Mendes. Na – até agora, ao menos – mais barulhenta delas, o ministro concedeu dois discutíveis habeas corpus ao banqueiro Daniel Dantas em velocidade meteórica, atropelando inclusive instâncias inferiores do Judiciário.

Continue reading “Gilmar, por que não te calas?”

República dos juízes: in dubio, pau no réu!

A máxima “juiz só fala nos autos”, definitivamente, assume mais e mais um ar démodé. Não bastasse o gosto pelos holofotes de alguns juízes, manifesto em declarações inconvenientes até mesmo sobre causas correntes, uma associação de magistrados arbitrariamente divulgou, com notória conotação negativa, listas de candidatos às eleições que respondem a processos ainda em andamento. Ora, ora. Como se a mera existência de processo contra alguém bastasse para a presunção de culpa!

Continue reading “República dos juízes: in dubio, pau no réu!”

Supremo perde o foco e todos saem mal na foto

Esfriados os ânimos a respeito do prende-e-solta do caso Daniel Dantas e tomando emprestada a linguagem de minha outra coluna aqui no OPS, constato: muitos os que perderam o foco e saíram mal na fotografia. Entretanto, ainda que aparentemente sem a menor intenção, Gilmar Mendes (tenebroso na foto) evidenciou as diferenças do funcionamento de nossa Justiça para cidadãos de diferentes estratos sociais.

Continue reading “Supremo perde o foco e todos saem mal na foto”

Todos estão surdos

Nunca se vendeu tanto carro no Brasil. Reflexo de um clima econômico favorável, as vendas atingiram quase dois milhões e meio de unidades em 2007, notável incremento em relação às quase 1,3 milhão de unidades comercializados em 1998. As fábricas trabalham em múltiplos turnos e não dão conta da demanda. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2008, foram vendidas 909 mil unidades, incremento de 35% sobre o mesmo período no ano anterior.

Continue reading “Todos estão surdos”

O estilingue de 260 milhões

O anfitrião da inauguração de uma ponte de 260 milhões na zona sul de São Paulo foi Gilberto Kassab (Dem), vice que se tornou prefeito com a renúncia de Serra (PSDB). O próprio ex-prefeito, hoje governador, também estava lá. E pra não dizer que o PT não tem culpa nenhuma no cartório, bom lembrar que foi a ex-prefeita Marta Suplicy quem deu o pontapé inicial nesta tão questionável obra. A benção da Igreja Católica à ponte foi feita pelo padre Marcelo Rossi (será ele candidato a algum cargo?)

Continue reading “O estilingue de 260 milhões”

Marco Aurélio, um César no Supremo

Marco Aurélio Mendes de Faria Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, tem nome de imperador romano (Marco Aurélio, 121 – 180). A comparação que cabe em relação ao ministro não é com o também imperador romano César (Júlio César, 100 a.C. – 44 a.C.), mas sim com o folclórico prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, notório pela criação de factóides que fazem a alegria dos jornais.

Continue reading “Marco Aurélio, um César no Supremo”

O que há por trás do carnaval de Salvador

O que podemos esperar de um espaço de consumo e interação, imbuídos em aproveitar o prazer de um tempo limitado e achatado pela "vida real"? Nada, se entendermos que o carnaval não pode ser mais um espaço de conforto de tradições e manifestações culturais acerca de imaginar e pensar um novo mundo. Caso contrário, entendamos o mesmo como um emaranhado cultural de possibilidades, sendo a principal de fazer e reproduzir a Política republicana enquanto a arte de construir um repertório não-econômico.

Continue reading “O que há por trás do carnaval de Salvador”

Algumas verdades incovenientes sobre CPMF e Imposto de Renda

Não fosse ridiculamente parcial a quase totalidade de nossa imprensa, seria surpreendente o silêncio de nossos meios de comunicação quanto à correção da tabela de Imposto de Renda retido na fonte, da ordem de 4,5%, efetuada em janeiro corrente. Os números comprovam: para o bolso de boa parte dos assalariados, a economia proporcionada pela correção da tabela de IR é maior que a auferida com a extinção da CPMF.

Continue reading “Algumas verdades incovenientes sobre CPMF e Imposto de Renda”