Quem faz o OPS!

Editor-Geral

Rafael ReinehrRafael Reinehr: editor e fundador do OPS! Administrador do portal e da rede de blogs Opsblog.org. Eclético por natureza, adora cinema, música, literatura, fotografia, gastronomia. escreve em seu blog http://reinehr.org, é netweaver da Coolmeia, Ideias em Cooperação http://coolmeia.org e http://rede.coolmeia.org, médico endocrinologista da Clínica MedSpahttp://clinicamedspa.com, fundador do portal literário Simplicíssimohttp://simplicissimo.com.br ; participa de iniciativas interessantíssimas como a Rede Metareciclagem (http://rede.metareciclagem.org), a Rede Românticos Conspiradores (http://romanticos-conspiradores.ning.com) e o Movimento Zeitgeist Brasil (http://movimentozeitgeist.com.br); co-fundador do coletivo APonte! – Rede de Educadores Livres, do Celeiro de Oficinas, organizador do Green Drinks Araranguá, do Sarau Eléqtrico, do Fotos de Quinta, do FotoClube Sulcatarinense e do CineAvenida – O Cineclube de Araranguá e Núcleo de Cinema Sulcatarinense. Para saber um pouco mais: http://reinehr.org/efervescencias/nonsense/quem-sou .

 

 

 

Editores-Seccionais

 

Arte e Cultura

 

Diogo BrunnerDiogo Brunner: Cientista Social de formação, aprendi a ver nas artes uma forma de expressão verdadeiramente transformadora. Morei em Araraquara (onde me formei), São Paulo (momento muito inspirador, e onde trabalhei como assistente de produção em cursos de cinema). Hoje me escondo em Assis, a terra do nunca, quase divisa com o Paraná, onde curso na Unesp o mestrado em literatura, que junto com fotografia e cinema são minhas grandes paixões. Além disso leciono Sociologia para o Ensino Médio e mantenho a coluna “Ao sul de lugar nenhum” no OPS!, desde 2010.

 

 

 


Ciência e Humanidades

 

Mundo

Solange AyresSolange Ayres

 

 

 

 

 

Sustentabilidade

Luiz AfonsoLuiz Afonso Alencastre EscosteguyAtualmente? Gostaria de saber! Antes? Até gostei. Quem sabe algumas adaptações, menos nariz empinado… Não!?Deixa o nariz empinado. Até ajudou em muitas coisas… Atrapalhou em muitas outras, mas azar dessa gente que não ganha tempo para conhecer as pessoas e se prende nas aparências, nas primeiras impressões… Mais um, apenas isso! Alguém que tenta – insistentemente – eliminar o umbigo. E como é difícil. Mas o nariz empinado ajuda nesses casos. Não desisto!?Ainda me verei? – nem que seja na tal da hora da morte – sem ele. Simples como a decisão a tomar: entre o bem e o mal. Não sou romance, o mal poderá vencer…

 

 

Utopia

Tiago Jaime Machado

 

Vida e Estilo

 

Blogueiros

Camila Suzuki [1] – natural de Presidente Prudente-SP, paulistana de coração e de vida. Ex-aspirante a Arquiteta & Urbanista (com uma quedinha pelo segundo) e atual estudante em constante luta para vencer o abismo de anedonia que a separa da graduação definitiva do curso de Editoração na ECA-USP. Assistente de Arte como modo de pagar as contas. Sua principal paixão é tornar as coisas bonitas de alguma forma, mesmo as que parecem ser absolutamente desprezíveis. Tenta cumprir isso pelo mundo das imagens e se dedica a alcançar seu ideal por meio da escrita.

Marco Aurélio Weissheimer [2] – Jornalista, Porto Alegre. Editor da Carta Maior, do RS Urgente, colunista do jornal Extra-Classe (Sinpro-RS).

Tiago Andrade [3], guarulhense de nascimento, paulistano honorário. Fã de todas as artes, aventura-se por várias delas: é escritor, desenhista, repórter, tradutor, sócio da Kombo Podcasts (http://www.dimensaonerd.com), resenhista do Fala Série (http://falaserie.blogspot.com) e teve uma breve experiência como comediante stand-up sobre a qual é melhor não comentarmos. Fã de Douglas Adams, Frank Zappa e Geoff Johns, gosta de tudo o que é bem feito – ou mal feito o bastante para ficar engraçado.

Ricardo C. [4], "cê" de "comum". Quando não lê, bloga; quando não bloga, cinemiza. Curioso sobre cultura, arte, religiosidade (especialmente a dos outros), ciência, humanidades e nadas, muitos nadas. E no meio dessas atividades escuta, com dedicada e flutuante atenção, algumas horas por dia, várias vezes por semana, e ainda lhe pagam por isso. Ah, não considera de muito bom tom dizer mais de si do que estas linhas, exceto que faz isso tudo sempre regado a café expresso.

Rodrigo Cássio [5], jornalista e filósofo por formação, mestre em cinema e doutorando em filosofia da arte, pesquisa e produz sobre os filmes, a sociedade de massas e a fundamentação da crítica da ideologia; isto em uma era na qual o cinema morreu, a arte acabou e a ideologia se tornou um conceito sisudo e ultrapassado.

Daniel Lopes [6], editor do coletivo Amálgama [7] e colaborador do Digestivo Cultural [8]. Interessado em literatura, religião, ateísmo, filosofia, biologia, astronomia, web design, política, história, Oriente Médio, futebol, punk rock, café, vinho, gatos, línguas e algo mais. Teresina-PI.

André Egg [9], torcedor do glorioso Coritiba F.C. (tá bom, não anda tão glorioso ultimamente), ex-técnico em eletrônica, ex-professor de violão, atualmente professor universitário de matérias de música e história. Curioso demais. Palpiteiro. Esquerdista. Cristão (meio liberal). Por tudo isso, tinha de ter um blog. Foto aqui (se precisarem para espantar moscas).

Diego Viana [10], palpiteiro descarado.

Ulisses Adirt [11], 30 anos, faz coisas demais da vida (e adora todas elas). Trabalha como professor de História, escritor e, ainda, ensina dança de salão. É possível encontrá-lo sorrindo em salas de aula, dançando pelos salões de baile de São Paulo, enfurnado em bibliotecas, cinemas, museus e teatros ou no blog Incautos do Ontem.

Guga Alayon (http://googala.opsblog.org/), arquiteto que reponde por esta escolha aqui–> (http://www.arq-guga-alayon.blogspot.com). Achou um dia que a vida de artista seria mais tranquila. E é. Pena que ainda não consiga receber nada com i$$o. Apesar de tudo, quer dizer , do nada, o blog continua, ventilando e arquivando algumas coisas que arejam o pouco espaço vago no córtex.

Fabiano Camilo [13], 33 anos, bacharel em história e historiador interrompido. Começou a blogar para que os pensamentos não ficassem aprisionados em seu cérebro, atormentando-o. Com o tempo, tomou gosto pela coisa. Mora no Distrito Federal.

 

Colunistas

Arte e Cultura


 

Ciência e Humanidades

José EustáquioJosé Eustáquio Diniz Alves: nasceu em Belo Horizonte e mora e trabalha no Rio de Janeiro. É doutor em Demografia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (CEDEPLAR) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com pós-doutorado no Núcleo de Estudos de População – NEPO/UNICAMP. Foi Coordenador Estadual do Sistema Nacional de Emprego (SINE) na Secretaria de Estado do Trabalho de Minas Gerais de 1984 a 1987. Foi professor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) de 1987 a 2002 e atualmente é professor titular da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), onde foi coordenador da Pós-graduação de 2005 a 2009. Foi tesoureiro e vice-presidente da Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP) entre 2005 e 2008. Participou da coordenação da pesquisa “Impactos do bolsa-família e da BPC/LOAS na reconfiguração dos arranjos familiares, das assimetrias de gênero e na individuação das mulheres”, realizada na cidade do Recife em 2006 e 2007, dentre outras. Consultor do Fundo de População (UNFPA) das Nações Unidas. Tem vários livros e artigos acadêmicos publicados. Áreas de interesse: população e desenvolvimento, demanda habitacional, fecundidade, relações de gênero, mulheres no espaço de poder e demografia dos negócios. Link do CV Lattes – http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

 

Henrique CruzHenrique CruzEngenheiro civil, formado em Portugal, vive há várias décadas no Brasil, onde foi artista plástico e como engenheiro projetou e conduziu obras de grande porte por todo o país. Casado, é pai de um filho e avô de um menino e uma menina. Sempre um apaixonado pela matemática, hoje dedica-se ao seu estudo e divulgação, com três livros escritos porém não editados sobre o assunto. Seus textos podem ser encontrados no blog Mathmodern.

 

 

 

 

Stella D'AgostiniStella D'AgostiniStella D’AgostiniEstudante de Antropologia, curiosa e provocadora. Depois de passeios entre diversas areas da ciencia, humanas, exatas e saude, a certeza que o holistico e a rede sao inseparaveis se aproxima. Pensamentos fluidos e convexos sao partes do provocar a si mesmo, parte da curiosidade infantil de colocar o dedo na tomada e ver o que acontece, se nao contribuirem para o conhecimento teorico serao pelo menos uma fantastica experiencia, afinal correr riscos e intriseco a existencia, e provocar e brincar com isso.

 

 

Mundo 

Solange Ayres

 

Sustentabilidade 

 

Utopia 

 

Vida e Estilo

 

Já passaram por aqui:

Bruno Yukio

Marcos Schmidt

Paty Louzada, nascida Patrícia de Campos Louzada, em MG no ano de 1983. Morou durante anos no MS, retornando ao seu estado de origem em 1995. Mudou-se para SP em 2010 com o intuito de seguir carreira acadêmica. Sonhava com as artes cênicas quando criança, mas optou pela área de saúde ao escolher um curso superior. Cursou apenas metade da graduação em enfermagem, abandonando o curso para fazer cinema. Dedica-se à escrita e possui mais de uma dezena de roteiros de curta metragem e um de longa metragem, todos engavetados. Suas grandes paixões são cinema/roteiro e semiótica. 

 

Cesar Kiraly

Murilo Duarte Costa Corrêa [15] é Mestre em Filosofia e Teoria do Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (CPGD/UFSC)e advogado. É Professor Titular de Filosofia do Direito e Assistente de Teoria Geral do Direito na Faculdade de Direito de Curitiba do Centro Universitário Curitiba (FD/UNICURITIBA), e Professor Adjunto da Faculdade de Direito da Fundação de Estudos Sociais do Paraná (FD/FESP-PR). Graduou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná (FD/UFPR) e pesquisa, atualmente, os temas da ruptura e da imanência nas obras de Nietzsche, Foucault, Agamben e Deleuze. Colabora com o periódico eletrônico O Estrangeiro.Net [16], e mantém a coluna "Suscitar Acontecimentos" [17] em O Pensador Selvagem desde março de 2010. Edita o blog "A Navalha de Dalí" (http://murilocorrea.blogspot.com), em que discute temas relacionados à Filosofia e à Teoria do Direito contemporânea. Já traduziu textos de Jean-Clet Martin, Michel Maffesoli e Giorgio Agamben, dos originais em francês e em italiano. Pretende traduzir outros mais. Publicou alguns artigos e ensaios em revistas nacionais e internacionais, disponíveis na internet viaScribd [18]. Seus primeiros livros devem sair em breve.

 

Sara Gobbi, capixaba do norte do estado, baiana de coração, que mora em Niterói – RJ… Geminiana, flamenguista, estudante de publicidade da UFF, que adora matemática, ex-bailarina, metida a estilista… Curte música, mas não é tão eclética assim. Adora ler, mas tem certa resistência aos best sellers. Adora cinema e vai do mais clássico ao mais trash num piscar de olhos. Enfim, um monte de coisas que não combinam.

Ana Al Izdihar, adora deixar o editor esperando pela sua minibiografia

João Grando, sul rio-grandense, mas antes disso brasileiro, e antes disso humano, e antes disso um ser vivo como todos os outros. "Funcionário público. Filósofo, portanto. F. público, o que pode ser filósofo público. Ou funcionário p. p/ quem não gostar aplicar os palavrões que quiser à letra p.", assim começa o perfil oficial [14] de joao~grando (que sou eu, aliás), o qual não cabe aqui. Antigo maloqueiro cdf, surfista de asfalto, guardeiro de jiu jitsu, especialista em SFII, meia armador amador e amador (na conotação roots) também para com o resto das coisas da vida: sua especialidade é imaginar, e aí o resto (desenhar, escrever, filmar, criticar etc.) vai no embalo disso. Blog: http://joaogrando.blogspot.com

Tiago Andrade, guarulhense de nascimento, paulistano honorário. Fã de todas as artes, aventura-se por várias delas: é escritor, desenhista, repórter, tradutor, sócio da Kombo Podcasts (http://www.dimensaonerd.com), resenhista do Fala Série (http://falaserie.blogspot.com) e teve uma breve experiência como comediante stand-up sobre a qual é melhor não comentarmos. Fã de Douglas Adams, Frank Zappa e Geoff Johns, gosta de tudo o que é bem feito – ou mal feito o bastante para ficar engraçado.