A busca por um Hamlet definitivo

Praguejar, ou não praguejar: eis a questão. Eu, mais uma vez, irei discumprir algumas promessas feitas aqui. Sim, eu sei que eu comentei sobre os assuntos das próximas resenhas no post anterior, mas estes assuntos serão adiados pois hoje quero escrever sobre algo diferente. Sempre me vem à cabeça alguns temas que não envolvem Praga, e hoje eu resolvi não me importar mais com isto. Se alguém por aqui achar isto ruim, basta ligar para o nosso SAC (agora aonde vocês encontram este telefone é um grande mistério). Hoje eu vou falar sobre Shakespeare, e mais precisamente, sobre Hamlet. Eu tive uma overdose com a história do príncipe da Dinamarca nestes últimos tempos, tendo lido umas três traduções diferentes e assistido a alguns filmes também. Comecemos pelas traduções então.

Continue reading “A busca por um Hamlet definitivo”

Para quê serve a música – Parte 1

Tudo na vida cumpre um propósito. E qual seria a função da música? Qual é o parafuso correspondente à arte musical nas engrenagens do maquinário maluco que é a nossa realidade?

 

Continue reading “Para quê serve a música – Parte 1”

O sistema binário

A computação é a ciência do nosso século, dominando completamente não só todas as atividades cotidianas, mas marcando até o que somos em nossas identidades numéricas. Vivemos rodeados de números e os algoritmos dos programas computacionais condicionam a nossa maneira de viver. O autor aborda os princípios que norteiam as programações dos computadores analógicos e analisa em detalhe o sistema binário da sua linguagem. O tão conhecido código de barras é apresentado na sua composição e no modo como é lido pela leitora óptica.

Continue reading “O sistema binário”

Impressões sobre a terra do box de vidro

Caros amigos,

Após um longo recesso, esta coluna está de volta. Mesmo depois de tomar muita caipirinha por preço justo, eu acabei voltando para o Velho Mundo, de onde pretendo continuar a escrever com a mesma regularidade de antes (textos novos todos os domingos). Eu sei que prometi escrever alguma coisinha enquanto eu estivesse no Brasil, mas como todos sabem, aquele calor em pleno inverno, as já citadas caipirinhas e o bando de amigos impossibilitaram tal tarefa. Mas prometo então escrever um texto bacana agora sobre as minhas impressões desta viagem para o Brasil, para compensar mais esta dívida.

Continue reading “Impressões sobre a terra do box de vidro”