• Home  / 
  • Allegro
  •  /  Vamos a bailar el tango, hermanos.

Vamos a bailar el tango, hermanos.

A dança de salão é uma das mais conhecidas danças aqui no Brasil. O nome dança de salão é tão amplo que é quase impossível definir quais são os ritmos que a compõem. Entre ritmos clássicos, latinos e americanos, encontramos uma gama de opções. Por esse motivo, é quase impossível falar sobre todos aqui. Então escolhi alguns dos mais conhecidos.

Que tal um pouco de Tango Argentino para começar?

Rixas de futebol à parte, temos que concordar que nossos hermanos sabem bailar como ninguém.

O Tango é uma dança originária da região de Montevidéu e Buenos Aires. No seu iníco, esteve associado aos bordeis e cabarés, devido ao seu carater devasso. Mas logo o tango saiu da “ralé” argentina e estendeu-se às “melhores família” da região. Isso se deu, principalmente, por causa do sucesso do ritmo na Europa.

Originalmente é um ritmo melancólico, que exala tristeza e chora todos os lutos. É um ritmo forte por si só. Carrega uma imensa carga emotiva em cada simples movimento.

Podemos destacar que, na parte técnica, o Tango tem compasso de dois por quatro. E é dançado, geralmente, numa posição cerrada, de peito com peito, ou faces encostadas. No entando, é comum que ele seja dançado numa posição mais aberta.

Toda essa parte técnica – que concordo, é difícil de entender para quem não dança – torna o Tango um dos ritmos mais elegantes de se ver. A coreografia é bastante complexa, cheia de ganchos e ochos, que exigem habilidade e boa forma de expressão por parte dos bailarinos.

Cara leitora, você tem vontade de aprender o básico do tango? Experimente isso, então: sem música e sem contagem, para não complicar mais a coisa toda, tente aprender essa base que consiste em um passo para frente – começe com a perna direita -, um para o lado e dois para trás, sendo que, no último passo, deve-se cruzar a perna esqueda sobre a direita. Depois dê mais um passo para trás com a perna direita e feche as pernas, e mais um passo para o lado juntando os pés.

Não é fácil, mas também não é a coisa mais impossível do mundo. Basta ensaiar e ter um pouco de força de vontade. E lembre-se que todos os passos terminam com os pés juntos – não só no Tango, mas em muitos outros ritmos.

A música, originalmente, provinha de violões, violinos e flautas, entretanto, com a evolução do ritmo, a flauta foi substituída pelo bandeon – que é uma espécie de sanfona.

Hoje em dia o Tango se tornou um dos ritmos mais admirados da dança de salão. E, sem dúvida nenhuma, um dos mais bonitos também.

“O tango é a dança da carne, do desejo, dos corpos entrelaçados. É um diálogo novo, a sedução feita movimento, o ir e vir, encontro de dois mundos. É um baile exibicionista, esteticamente belo, e ronda sem temores o universo lúdico. O casal de baile roça seus sapatos entre sensuais carícias enquanto o atônito espectador ocasional, eterno voyer, se fascina e deslumbra com o ardor do tácito romance entre os dançarinos.”

Au revoir.

About the author

Sara Gobbi