• Home  / 
  • Futebol
  •  /  Beto, Edmundo e Romário juntos. E não é máster nem showbol, viu?

Beto, Edmundo e Romário juntos. E não é máster nem showbol, viu?

No início da temporada de 2008, o Vasco anuncia o seu trio maravilha: Beto (33 anos), Edmundo (37 anos) e Romário (42 anos), acenando como um dos principais candidatos ao rebaixamento no Brasileirão desse ano.

"O Vasco reuniu um dos melhores trios ofensivos do país. A direção vascaína foi arrojada e trouxe o habilidoso meia Beto, depois de temporada no Grêmio Porto-Alegrense. Eurico superou o salário que Edmundo receberia na Fiorentina da Itália para que o artilheiro do Brasileirão – 1997 continue no clube cruzmaltino. A negociação com Romário foi um pouco complicada, já que o Flamengo estava praticamente acertado com o baixinho, mas o contrato foi assinado com o Vasco na última semana."

Que bela notícia à torcida Vascaína, não?
Beto, Edmundo e Romário, em plena forma vestindo a camisa do Vasco.
O detalhe é que essa fictícia notícia tem como data janeiro de 1998.
Dez anos depois, em janeiro de 2008, o Vasco de fato anuncia Beto (33 anos), Edmundo (37 anos) e Romário (42 anos) e acena como um dos principais candidatos ao rebaixamento no Brasileirão.

Morais é talvez o único jogador lúcido nesse time de malucos, ex-atletas e pernas-de-pau. Destaca-se como um excelente articulador e, arrisco dizer, que se jogasse num São Paulo talvez aparecesse em alguma convocação para a Seleção (ou já teria sido bem vendido para a Europa).

Tiago e Leandro Bonfim também possuem qualidade. Não entendi ainda como o goleiro Tiago (um dos destaques da série B em 2007) foi parar em São Januário. Trata-se de um jovem e promissor goleiro que será o guarda-redes do Vasco em 2008. Talvez um dos únicos acertos da direção esse ano. Além dele, Leandro Bonfim também chegou ao Rio de Janeiro sem lotar aeroporto, mas é um dos poucos que tem bola e que pode corresponder às expectativas da torcida. O resto é resto.

O atual elenco é de chorar no canto. Eurico Miranda (que deveria estar em qualquer lugar bem longe do futebol há muito tempo) segue no alto da sua arrogância mandando e desmandando pelas bandas de São Januário e fez questão de montar um dos piores grupos de futebolistas da história do Vasco. Acessei o site oficial do clube e me assustei com a quantidade de caras desconhecidas (esquecendo completamente do asilo Beto, Romário e Edmundo). A grande maioria já passou por alguns clubes e parece ter caído de pára-quedas no Vasco. O time base do campeonato carioca tem: Tiago; Wagner Diniz, Luizão, Jorge Luiz e Carlinhos (Marcus Vinícius); Jonílson, Beto, Leandro Bomfim (Rafael) e Morais (Marquinhos); Alex Teixeira e Alan Kardec.

Ou seja, a diretoria vascaína realmente acredita que Beto, Edmundo e Romário resolverão os problemas do time. Beto sempre foi disciplinado, cuidadoso com a preparação física e afastado o máximo possível de bebidas alcoólicas durante toda carreira. Edmundo é o típico bom moço, nunca se meteu em confusão e está voando baixo. E Romário adora treinar, de preferência em dois turnos, para aprimorar ainda mais as suas arrancadas fulminantes. Esse é o histórico do trio maravilha vascaíno em 2008. Talvez até lá em 1998 ninguém quisesse esses três juntos nem banhados a ouro. Dez anos depois é que eles vão render, com certeza.

E o técnico? Ah, o técnico. Romário. Sim, Romário segue treinando a equipe, com todo aval do boçal Eurico Miranda. O baixinho foi certamente um dos melhores jogadores que vi jogar. É no mínimo desnecessária para o currículo desse gênio da área a experiência frustrada como treinador. Certamente Romário não será técnico no futuro (já não é no presente). Não possui perfil de “professor”. Está fadada ao insucesso.

Posso estar redondamente enganado (mais redondo que o prórpio Beto). É possível, sim, que esse grupo se supere e a famosa junção juventude/experiência funcione como um carrossel dos mais organizados. Mas convenhamos, com esse grupo, essa bagunça técnico/tática e com tanta podridão que o Sr.Eurico comanda por lá, o destino do Vascão esse ano poderá ser o mesmo do Curingão em 2007. Resta saber se no final da temporada, Romário sairá de campo e repetirá a famosa frase: “Agora tá todo mundo feliz: o Rei, o Príncipe e o Bobo.” Uma coisa é certa: a Corte está completa de novo. E se no final de 2008, com toda essa bagaça, o Vasco conseguir se manter na série A, aí pode ficar tranqüilo, Peixe.

Detalhe 01: Na noite em que publico esse texto, o Vasco vence o pomposo Resende por 5×2. Traduzindo: a defesa vascaína conseguiu a proeza de levar dois golos do Resende. Um de Hiroshi e outro de Alê.

Detalhe 02: já que mencionei 1998 e Vasco no mesmo texto, é necessário o registro: em 1998 o time comandado por Antônio Lopes sagrou-se campeão da Libertadores da América. O time dá inveja a qualquer time grande da atualidade: Carlos Germano, Vágner, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Luisinho (Vítor), Nasa, Juninho e Pedrinho (Ramon); Donizete e Luizão (Alex).

About the author

Guilherme Carravetta