• Home  / 
  • Observatório
  •  /  A descendência negra de Watson e a proibição de cobaias em Floripa

A descendência negra de Watson e a proibição de cobaias em Floripa

Saiu hoje no The Independent a notícia de que a análise do seqüenciamento genético de James Watson, um dos pais do DNA, atestou que ele possui aproximadamente 16% de genes de origem negra. A pesquisa acrescenta que um europeu médio possui 1% de genes ligados a origens negras e se baseou nos dados fornecidos pelo próprio Watson, que disponibilizou seu seqüenciamento de DNA online.

Saiu hoje no The Independent a notícia de que a análise do seqüenciamento genético de James Watson, um dos pais do DNA, atestou que ele possui aproximadamente 16% de genes de origem negra. A pesquisa acrescenta que um europeu médio possui 1% de genes ligados a origens negras e se baseou nos dados fornecidos pelo próprio Watson, que disponibilizou seu seqüenciamento de DNA online.

Não tive contato com a pesquisa e só estou sabendo da informação através da notícia do The Independent, em todo caso vamos considerar, ainda que com ressalvas, que a pesquisa está correta e seus resultados também. Seria uma ironia e tanto o homem que andou alegando que africanos são menos inteligente que o resto do mundo, estar mais próximos deles do que um cidadão europeu comum.

Já de nosso lado do Atlântico, a curiosidade fica por conta de Florianópolis. O vereador Deglaber Goulart conseguiu aprovar na câmara a proibição do uso de animais em pesquisas científicas. Floripa é a primeira cidade brasileira a estabelecer essa proibição. O prefeito Dário Berger entrou com uma representação no STF para derrubar o projeto de lei aprovado.

A questão é: qual a motivação para a proposta de um projeto de lei no sentido de proibir o uso de animais e, mais ainda, sua aprovação pela câmara da cidade? Estaria o vereador Deglaber Goulart realmente preocupado com o bem estar animal e o uso ético e responsável de cobaias em pesquisa ou, o que na minha opinião é mais provável, preocupado com sua imagem eleitoral para o ano que vem?

Continuamos observando…

About the author

Thiago Henrique Santos