• Home  / 
  • R.P.G.
  •  /  O Dia do Juízo Final: Holocausto Nuclear (Parte II)

O Dia do Juízo Final: Holocausto Nuclear (Parte II)

Não se sabe quem disparou o primeiro míssil…O conflito entre EUA e China envolveu o mundo inteiro, dando início à quarta Guerra Mundial. Armas biológicas e nucleares foram usadas indiscriminadamente. Abrigos antinuclear e auto-suficientes foram construídos, mas poucos foram os escolhidos para estas novas Arcas de Noé. A maior parte da vida existente no planeta morreu. Os que sobraram têm que lutar diariamente pela sobrevivência e reconstrução do mundo.

War, War never changes” – Introdução típica da série Fallout

O que é Fallout?

Fallout é um jogo de RPG para computador, feito pela Black Isle, divisão de jogos de RPG da falida Interplay (infelizmente).
O cenário de Fallout é pós apocalíptico, uma quarta guerra mundial (envolvendo armas nucleares e biológicas) destruiu boa parte da humanidade. Os sobreviventes foram aqueles que conseguiram um lugar nos abrigos antinuclear, que no jogo são chamados de Vault (gigantescos abrigos subterrâneos).
Vault Os vaults permaneceram hermeticamente fechados por muitos anos, até que os sensores acusassem que o meio exterior estava adequado para habitação novamente.

Num dos jogos para PC, o personagem principal é um descendente de um morador do Vault e ele é enviado por sua tribo para procurar o lendário G.E.C.K. (Garden of Eden Creation Kit – Kit de Criação do Jardim do Éden), cujas propagandas dizem ser a panacéia capaz de restaurar o mundo.
Aos poucos, o personagem vai descobrindo como o mundo ficou. As planícies norte americanas viraram um cenário típico de Mad Max. Criaturas mutantes vagam pelas planícies, ladrões ávidos por conseguir algum item tecnológico valioso ou escravos, falta de comida e água, e muitos resíduos radioativos representam perigos para o personagem.

Mas o que um jogo de videogame faz na sessão de RPG?

Fallout para GurpsFallout era para ser um jogo baseado no sistema GURPS (Generic Universal Role Playing System), desenvolvido pela Steve Jackson Games. Inicialmente eles conseguiram a licença para criar o produto, mas, o jogo estava ficando violento demais e então a SJG decidiu não vincular seu nome ao jogo. Mas o material do Fallout Paper and Pencil foi feito e está circulando pela Internet. Como a SJG não autorizava mais o uso do sistema GURPS no Fallout, o pessoal da Interplay inventou seu próprio sistema, que foi chamado de SPECIAL (Strenght, PErception, Charisma, Inteligence e Luck), para ser usado no jogo.
Ou seja, Fallout é um jogo de RPG de mesa também.
Além disso, o game Fallout permite maior interatividade, interpretação de personagem e liberdade. Você pode viajar para qualquer lugar do mapa, fazer o que você quiser e tomar as decisões morais que preferir. O jogo possui muitas piadas, referências a filmes, livros, e outros elementos da cultura pop, sarcasmo, crítica à sociedade norte americana, violência e sexo! (o sexo não é mostrado, só sugerido… aparece uma tela preta e os diálogos na hora H)
Caixa do Fallout 1

Bendito foi o dia em que o supermercado Carrefour estava vendendo Fallout 2 na promoção por R$15!!! Eu vi que era um RPG, então comprei aquela caixinha de papelão, mas estava sem nenhuma expectativa. Comecei a jogar, gráficos bem feinhos, insisti, e fui percebendo que o enredo, os diálogos e as piadas eram excelentes, e este jogo me cativou. Comprei o Fallout 1, também nesse supermercado e fui feliz.

Sobre o Cenário

A tecnologia do cenário é baixa, a humanidade regrediu. Mas, nos Vaults existem tecnologias avançadas. A maior parte deles foi aberto, mas pode haver alguma tecnologia perdida nas ruínas das cidades e dos Vaults abandonados.
Existe uma organização chamada The Brotherhood of Steel, que procura acumular toda a tecnologia antiga para que ela não se perca. Eles possuem veículos voadores, carros, pistolas lasers e cientistas brilhantes à sua disposição, mas eles adotam uma postura de não interferência no mundo, não compartilhando seus segredos.
Marcus, um NPC supermutante do Fallout 2Os EUA, para contra-atacar as armas biológicas chinesas, estavam desenvolvendo suas próprias armas biológicas. Uma destas experiências resultou no vírus FEV (Forced Evolutionary Vírus), que produzia alterações na massa muscular dos humanos e um comportamento violento, criando um super soldado. Esse vírus, em contato com a radiação, produzia uma mutação mais poderosa nos seres humanos, gerando os supermutantes. A maioria dos humanos que entrava em contato com o FEV modificado, morria. Mas, os poucos sobreviventes tornaram-se humanos enormes, com superforça.
Harold, o Ghoul com uma árvore frutífera na cabeça Além dos supermutantes, existem os Ghouls, que são humanos cujo Vault abriu antes do meio externo estar limpo e eles foram expostos à radiação. Esta exposição os transformou em humanóides com o corpo muito deteriorado. Sua aparência é a de um zumbi de filmes de terror, mas eles ainda são criaturas inteligentes.
Temos também os Deathclaws, outra experiência genética, criaturas ferozes, mas inteligentes, os radscorpions (escorpiões gigantes), brahmin (vaca de duas cabeças), giant rats (ratos gigantes), entre outras bizarrices.

Bom, é isto. Espero que este artigo seja o suficiente para despertar a tua curiosidade e fazer você procurar o game e o livro de rpg para começar a jogar. Vale a pena.

Hasta la vista baby

Links

Fórum Vault of Broken Dreams (Em português)
Disponibiliza algumas Fallout Bibles traduzidas, entre outras informações úteis.

Vault 13 (Em português)
Site ainda em construção, mas disponibiliza algum conteúdo.

Excelente Site de Fallout: No Mutants Allowed

Fórum No Mutants Allowed
Contém muitas informações e links para baixar as Fallout Bible em inglês.

Fallout é real (Em português)
Um post que mostra que Brahmins existem no mundo real.

Walkthrough do game Fallout 1

Walkthrough do game Fallout 2

Site Duck and Cover

Fallout Wikia

Site oficial Game Fallout 3 (ainda em desenvolvimento)

Vídeo Fallout 1

Vídeo Fallout 2
Introdução do jogo. Mostra o que é um GECK

Vídeo Fallout 3
Teaser do lançamento do jogo

About the author

Luiz Azuma