About the author

Marcos Schmidt

Marcos Schmidt é designer gráfico e ilustrador. Vive e trabalha na irremediável cidade de São Paulo.

Share

Sobre homens minúsculos

By Marcos Schmidt /

Penso que um traço marcante das eleições que se encerram neste domingo próximo é a pequenez de todos os atores políticos envolvidos. É a característica que ficará para a posteridade: na hora mais grave, em que o próprio processo civilizatório estava em jogo, todas as peças relevantes falharam. Por erro de cálculo, por arrogância, por […]

Share

Era de mitos

By Marcos Schmidt /

Vivemos numa era de mitos. É uma consequência lógica de um mundo pós-verdade. Virtualidades levam a um afastamento do mundo real, e quando esse afastamento se esgarça demasiado, quando o nome das coisas é descolado das próprias coisas, estamos lascados. Se o sistema nervoso de um animal não transmite sensações e estímulos, o animal se […]

Share

Da psicologia das massas

By Marcos Schmidt /

A extrema direita venceu no Brasil. Nosso próximo presidente será um fascista. Essa extrema direita brasileira tem lá suas particularidades, algumas delas visíveis em alguns dos nomes dos que foram eleitos: dúzias de coronéis, majores, capitães, tenentes e sargentos isso ou aquilo, de delegados e de soldados da PM, um certo Carteiro Reaça, um candidato […]

Share

Imagens da mente

By Marcos Schmidt /

Temos imagens em nossas mentes o tempo todo. São fugazes, fugidias, em movimento constante. Só fixamos algumas delas se focamos nossa consciência sobre elas. Mesmo assim, são facilmente apagadas, deletadas tão definitivamente que se tornam quase impossíveis de serem recuperadas. O contrário disso tudo o que foi afirmado no parágrafo acima também pode ser dito. […]

Share

Dominar, sempre…

By Marcos Schmidt /

Do século XVIII até inícios do século XX, a história da pintura é uma tentativa de religar-se à Natureza. Há a oposição entre a arte dos museus, supostamente fria e morta, e a arte que se funda e se nutre da Natureza. A modernidade põe um ponto final nessa questão, e não porque a tenha […]

Share

Um bode expiatório: Nelson Rodrigues

By Marcos Schmidt /

Alguns amigos que desperdiçam seu tempo com literatura não gostam de Nelson Rodrigues. Não variam muito as justificativas: repetitivo, reacionário, mórbido[1]. Como conheço o discurso desses meus amigos, intuo que o motivo verdadeiro seja outro. Não considero Nelson Rodrigues o maior dos escritores, mas no que me diz respeito ninguém tocou no nervo, para usar […]

Share

7 de setembro de 2018

By Marcos Schmidt /

Não há muito o que se dizer num sete de setembro pós-incêndio do Museu Nacional e pós-atentado contra um candidato a presidente, ainda que este candidato seja um fascista. Não apenas pelos acontecimentos em si, mas também por causa das reações que suscitaram. Estamos em maus lençóis. Resta torcer para que a vindoura guerra civil […]

Share

Canudos Now

By Marcos Schmidt /

As campanhas militares contra Canudos foram a resposta do Estado brasileiro àquilo que os jornais das capitais expunham como sendo uma forte ameaça à República recém instituída. Seriam ideologicamente fanáticos, monarquistas radicais muito bem organizados, muito bem armados, operando sob a influência do estrangeiro com interesses escusos. Euclides da Cunha parte para o local do […]

Share

Mal-entendido

By Marcos Schmidt /

Borges, num ensaio, cita a dificuldade que estudiosos encontrarão num futuro distante ao se depararem com uma frase simples do tipo “essa criança chora todo santo dia”. Imaginarão que a criança, precoce, já era dotada de profunda religiosidade e que chorava de maneira ritualizada em dias tido como sagrados. Um conto de Arthur C. Clarke […]

Share

Cézanne

By Marcos Schmidt /

A oposição entre forma e conteúdo é a mais pedestre das questões da arte. Começando pelo fato de que é uma questão falsa: essa oposição não existe. O pior comentário que se possa ouvir inclui sempre um “essa obra não tem conteúdo”. Rara leitora, raro leitor: desconfia da qualidade argumentativa de quem insere essa vacuidade […]

Page 2 of 14