Boas vindas a 2019 – O ano da Colheita

o ano da colheita

Seja bem-vindo 2019! Ou seria 5779? Ou 2562? ou 4717? ou ainda 31?

Imagino que você saiba que a data que muitos estão celebrando trata-se de uma convenção, adotada em alguns países como “data oficial” e, em outros, como data “complementar”, para facilitar a comunicação com outras partes do mundo. Veja um resumo de alguns outros calendários e que anos eles apresentam em 2019:

Calendário Gregoriano: 2019 (Introduzido pelo papa Gregório no século XVI (1582) nos países católicos, em substituição ao calendário Juliano)
Calendário Judaico: 5779 (Inicia com a primeira Lua Nova, que apareceu numa segunda-feira, em 7 de outubro de 3761 A.C.)
Calendário Lunar Budista: 2562 (Cronologia contada a partir da descoberta do nirvana por parte de Buda)
Calendário Etíope: 2011 (Baseado no antigo Calendário Alexandrino, com 13 meses por ano, 12 meses de 30 dias e um mês de 5 ou 6 dias dependendo se o ano é bissexto)
Calendário Muçulmano: 1440 (Cronologia contada a partir do dia em que o profeta Maomé e os primeiros muçulmanos foram de Meca a Medina (622 D.C.)
Calendário Persa: 1397 (Calendário astronômico criado com a participação do poeta, matemático e astrônomo Omar Jayam)
Calendário Hindu: 1940 (Baseado nos cálculos da era saka, e é um antigo sistema de cronologia difundido na Índia e Camboja. Entretanto, diferentes povos e tribos usam outros pontos de partida, como a Morte de Krishna em 3102 A.C., a chegada ao poder de Vikram, no ano 57 D.C.)
Calendário Japonês: 31 (Base calculada por anos de governo dos imperadores japoneses, sendo que cada imperador dá nome a determinada época, que funciona como um lema de sua gestão. A partir de 1989, o Japão entrou na “Época da paz e tranquilidade”, com o Imperador Akihito)
Calendário Chinês: 4717 (Cronologia inicia com a chegada ao poder do imperador Huangdi, em 2637 A.C. e se baseia nos ciclos astronômicos de Júpiter. Uma rotação de Júpiter em torno do Sol dura 12 anos, e os anos deste calendário receberam nomes de animais. 2019 será o Ano do Porco)
Calendário Juche: 108 (utilizado na Coréia do Norte, tem seu ponto inicial em 1912, ano do nascimento de Kim Il-Sung, fundador do Estado Norte-coreano. O ano de seu nascimento é o ano 1).

Qualquer que seja o dia, a hora, a lua ou o ano que você esteja celebrando, existe apenas uma verdade: o tempo passa para todos. Faça hoje aquilo em que acredita, viva cada dia de acordo com a sua essência, cultive a atenção plena ao agora, ao momento presente, a esta dádiva que é estar vivo neste instante. Organize seu estado mental para remoer menos o passado e pensar um pouco menos no futuro. Como dizia Howard Zinn: “O futuro é uma sucessão infinita de presentes, e viver agora da forma que acreditamos que os seres humanos devem agir, em oposição a tudo que existe de ruim ao nosso redor, já é por si uma vitória maravilhosa”.

Em 2019 e além, busque se reconectar com quem você é. Tente sair do automático. Encontre todos os dias, ou pelo menos uma vez por semana, um tempo para refletir sobre o que lhe faz feliz e se estás vivendo de acordo com os princípios nos quais acredita. Chame este momento de Tempo Sagrado, e crie um pequeno ritual para cultivá-lo, sozinho ou com pessoas que considera especiais.

Em 2019, criei um espaço assim, que irá me reconectar a minha essência, que é a de alguém que ama viver em contínuo aprendizado. Ele se chama Cada Vez Melhor, e será uma espécie de Ágora dos tempos modernos. Lá, o foco será o crescimento intelectual, emocional e espiritual dos seres humanos. Teremos uma linha guia inicial, chamada de 16 Fatias da Saúde Integral, da Harmonia e da Felicidade, mas o tempo mostrará que a construção coletiva de saberes, devires e sentires será muito mais importante do que qualquer ponto ou porto de partida. Iniciaremos nossa jornada no dia 07 de janeiro, e você está convidado a, desde já, navegar conosco, deixando seu contato para que eu possa te explicar melhor, pessoalmente.

Em 2019 quero mais singularidade e menos generalismo. Quero saborear o gosto de cada mordida, a lambida de cada brisa e sentir a umidade de cada gota de orvalho. Mas se isso me sobrecarregar, quero saber reduzir o ritmo, desacelerar, e me permitir estar presente somente onde e naqueles instantes que forem significativos. Vou aprender, com gentileza e respeito, a dizer não.

Seja lindo, potente e cheio de maravilhosas realizações da espécie humana, 2019, pois ímpar já és. Que os empreendimentos da nossa espécie sejam crescentemente pautados pela busca do bem comum e que possamos, na retrospectiva dos teus dias, sentirmos que avançamos um pouco mais em relação ao tempo que passou.

Um Feliz 2019 a todos que compartilham e se aventuram neste momento no tempo e no espaço.

Saiba fazer deste ano um Ano de Colheitas, um ano para uma vida e um mundo #CadaVezMelhor.

Rafael Reinehr
PhD em bolinha de gude, jogo da amarelinha y outras coisinhas mais

About the author

Rafael Reinehr

Rafael Reinehr é um autodidata eclético. Saiba mais sobre ele em http://reinehr.org/quem-sou

Leave a comment: