Não é algo para amar...

Vida e Estilo - 3ª Dimensão

Avatar

 Ah, a ciência!

 Uma das mais antigas ferramentas criadas pelo homem, permite-nos entendermos a nós que somos natureza e, enfim, transformarmo-nos no que somos hoje. Se devemos à alguém o que somos hoje, é a nós mesmos e à nossa capacidade de inventá-la (a ciência).

 Mas nem todos pensam assim...
 
 A ciência é, para muitos, vista como uma destruidora da humanidade (humanidade que só existe por causa da ciência), cimentando florestas, transformando o colorido em cidades cinzentas e mortas. Essas pessoas se esquecem das cores que sabemos existir através do uso da ciência e que sem ela nunca reconheceríamos, esquecem dos mundos que podemos vislumbrar, ainda que com os olhos de máquinas e que nunca poderíamos fazer, se um dia tivéssemos desistido da ideia de questionar...
 
 Ciência é questionar para entender e é entendendo como funciona a natureza que podemos alcançar nossos objetivos com maior facilidade.
 
 Mas para outros não é o concreto o problema, mas sim o chamado positivismo, o agir como se só o observável valesse, apenas as leis quadradas como no papel significam e importam para alguma coisa. Para essas pessoas eu digo: se as leis do positivismo estiverem erradas, então a ciência às deixará de lado, como vem deixando.
 
 Não há o que fique , na verdadeira ciência, que não esteja se comprovando funcional até o momento. Se a ciência fosse uma ferramenta ineficiente, leitor, você não estaria lendo isso agora, pois foi com ela que criamos os computadores, a internet...
 
 Pessoas cometem erros, mesmo quando usando a ciência, mas se este erro tornar-se exposto, será revisado e o necessário para se concertar os problemas causados será feito, sem apego, sem ego.
 
 A ciência ou melhor, nós, usando a ciência, entendemos o ser humano como sendo parte da natureza, entendemos melhor a consequência de nossos atos, a responsabilidade de cada um, o potencial de superação da espécie como um todo! E quando digo nós, digo você também!!! A ciência é uma ferramenta humana, todos podem questionar, observar e entender a natureza e como chegar a um resultado, está intrínseco no significado da expressão "ser humano".
 
 A ciência serve para entender o que funciona em certa situação. Mas e a política? E a religião? Quando elas nos dizem que temos poder e responsabilidade de zelar por toda criatura viva, por todo ser humano deste planeta, não importando o local de nascimento, crenças, opções subjetivas, afinal, trata-se de parte minha também!
 
 Sério. Como você pode ter certeza que a casca do abacate que colocarei na composteira hoje não tinha átomos que, um dia, passaram pelos seus olhos, tipo, sendo parte deles?
 
 Vale comentar que, a cada dois anos, praticamente toda célula do seu corpo deu lugar a uma outra, o que nos faz saber que, há dois anos atrás, em termos de matéria, nós éramos uma pessoa totalmente diferente de quem somos hoje, ou seja, não éramos nós...em termos de matéria...
 
 No colégio decoramos e repetimos incessantemente as mesmas coisas, isso não é ciência, é um estudo das tecnologias ou dos conhecimentos, o que, por sua vez, é o resultado da ciência, não ela própria.
 
 Ciência é questionar e descobrir para poder criar, criar esta tecnologia...
 
 No comércio, é usada para descobrir...descobrir como ferrar os outros e aumentar os lucros. Não é bela como a ciência humanizada, é feia e suja.
 
 A ciência dos cientistas de verdade (por não achar palavra melhor, talvez, a ciência dos humanos humanizados...), essa é bela! Podemos usá-la diariamente! Experimente, se quiser! Sem medo da matemática, descobrirás a diferença dela pro que a gente vê em aula. Ela é como um martelo: eu o pego quando preciso usar, não preciso mantê-lo na mão o tempo todo.
 
 Não é decorando fórmulas que se usa essa tecnologia que é a matemática e que nos serve de ferramenta. Aprenda a usar, as fórmulas ficam escritas em qualquer lugar e pode-se lê-las sempre que precisar.
 
 Quer uma dica? Comece pela física mecânica e geometria, estudo o mundo ao seu redor e veja como as coisas se relacionam no plano visível. É excitante!!! A química daquilo que comemos, bebemos e respiramos também pode ser interessante de se dar atenção.
 
 Trazer a ciência para nosso dia-a-dia nos torna mais humanos do que se pode imaginar, pois, hoje, ela nos mostra o que somos com mais exatidão e quão dentro da natureza nós estamos, nós somos natureza e, se isso não for motivo para amar ao próximo e proteger a todas as coisas, eu não sei mais o que é...
 
 Ciência não é algo para ser amado, mas usado com amor. Vida sim é algo para ser amada, não para se usar.


Adicione esta página ao seu Marcador Social favorito
Digg! Reddit! Del.icio.us! Google! Live! Facebook! StumbleUpon! Yahoo! Joomla Portal
Comentários
Adicionar novo RSS
+/-
Escrever um comentário
Nome:
E-mail:
 
Website:
Título:
UBBCode:
[b] [i] [u] [url] [quote] [code] [img] 
 
 
Por favor coloque o código anti-spam que você lê na imagem.
Marcos Bidart de Novaes |06-05-2012 02:34:24
avatar Maravilhoso seu texto. Concordo com você no âmbito do idealismo. No do realismo, há mais do que motivos para se desconfiar da ciência, quando a serviço de interesses espúrios.
Vitor |25-05-2012 15:33:23
Companheiro,

espero que considere a crítica contrária de forma natural, ainda que não estaria surpreso caso lhe incomode.
Em fim, não consegui ler mais de cinco linhas de seu texto. A colocação de ideias é muito simplista, e não por isso se torna chata, mas além da retórica, mais me parece um jovem, no auge das aulas de redação, opinando sobre ciência. Parece tão desgastado o assunto, que o tema também não foi bem escolhido na minha opinião. E, por favor, nada mais exato, ou, cientifico, para não distoar de suas preocupações, que a vida sem tudo isso muito inventado, descoberto, recriado, minusiosamente por investigações supostamente perfeitas em seus processos, com o detalhe de que os parâmetros do juri também fazem parte de um processo de criação mental, ainda que óbvios, jamais absolutos. A minha quetão não é a de que ame ou deixe a ciência, mas despreocupe-se com que com ela não compartilha um romance. Esteja certo de que a vida no campo, no sertão, na floresta, ou onde quer que seja, muito, mais muito antes da ciência, já era mais que possível: era sustentável. A ciência tal qual defende meu caro é uma forma incessante de buscar soluções para a magnifica desordem de tudo que ocorre, e quando estrapola as questões materiais, nada mais é que a tentativa sem fim de explicar algo que basta sentir para entender. Entenda, não somos o centro do universo, tão pouco as bordas, quanto menos ainda parte dele está em nós: nós não somos parte do Universo. E essa questão a ciência jamais entenderá.
Me tuíta!
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

+ lidos Últimos 7 dias

+ lidos Últimos 30 dias