Facebook e sanha moralista

Aproveitando a onda das comemorações do Dia da Criança, tem sido habitual, para algumas pessoas, colocar imagens no Facebook de quando eram crianças.

Pois bem, esse ano resolvi participar da brincadeira e mudei a minha imagem de perfil para essa que está aí em cima.

Imagino que eu tivesse algo como dois anos, para já conseguir ficar em pé assim, mesmo que por breves momentos para a foto. De qualquer maneira, dá para ver que estou feliz com a “aventura”. Algo até “encantado” com a altura ou, quiçá, admirado da minha coragem.

Mas não foi isso que o Facebook imaginou. Imediatamente a excluiu, considerando que a imagem continha cenas de nudez. O aviso foi esse:

Cenas de nudez! É de ficar pasmo diante de tamanha boçalidade dos censores (ou de algum algorítimo) do Facebook que detecta “as partes” e as interpreta, sumariamente, como nudez.

É a esse ponto que estamos sendo conduzidos, como manada: ao ponto da boçalidade de uns poucos, que exorbitam sem que oposição tenham, comande o que devemos ou não ver, pensar ou publicar.

Mas ainda temos os blogs e portais, como O Pensador Selvagem, onde é possível evitar a censura e dizer não para a hipocrisia do rebanho.

 

 

About the author

Luiz Afonso Alencastre Escosteguy

Apenas o que hoje chamam de um idoso. Parodiando Einstein, só uma coisa é infinita: a hipocrisia. E se você precisou saber meu "currículo" para gostar ou não do que eu escrevo, pense bem, você é sério candidato a ser mais um hipócrita!

Leave a comment: